Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Saga Crepusculo Portugal

Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail:crepusculoforum@sapo.pt Um blog que vai ao encontro de que as(os) fãs mais desejam. Aqui é o espaço perfeito onde podes saber as novidades sobre toda a emocionante saga CREPÚSCULO... Esperamos por TI AQUI.

Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail:crepusculoforum@sapo.pt Um blog que vai ao encontro de que as(os) fãs mais desejam. Aqui é o espaço perfeito onde podes saber as novidades sobre toda a emocionante saga CREPÚSCULO... Esperamos por TI AQUI.

Saga Crepusculo Portugal

26
Set10

Fanfic - Capitulo 10 - "Noite de Luar"

Joana

 

Capítulo Dez – Dor de mãe


 


 

Edward

 

 

A floresta estava agitada.O chilrear dos pássaros pareciam gritos de pessoas aflitas, o grasnar dos patos que sobrevoavam a floresta, parecia um trompete desafinado. O vento a passar pelas folhas verdes das árvores, assobiava.A água que ouvia, parecia vidros a estalar, ao embater contra as rochas deformadas. Tudo estava ao contrário do que era normal.

A minha filha ,o segundo melhor ser do mundo inteiro. Uma rapariga, querida, alegre, carinhosa, educada e linda. Os seus olhos de chocolate, brilhavam de alegria alguns tempos atrás, e agora? Agora a felicidade que ela construiu desmoronou-se. O namorado dela sequestrado, por um maluco qualquer.

Edward. Encontramos um rasto do Jacob. - Pensou Seth, o meu melhor amigo, lobo.- já tem alguns dias. Mas é mais ressente, do que o outro que encontramos, alguns quilómetros daqui.

Não tinha como falar para ele. Tentei encontra-los, através do odor.

 

    Pouco tempo depois, estava ao lado do Sam e do Seth.

    - Eu também, consegui encontrar, o rasto da Nessie. Está para norte.

É provável que encontremos o Jacob se seguirmos o rasto da Nessie. - pensou Sam.

    - Sim é provável. E eu sugiro que sigamos o rasto da minha filha.

Sim é uma boa ideia. - cogitou Seth.

Não. Eu prefiro que o Edward, vá pedir ajuda á sua família, e vão atrás do rasto da Nessie. E Eu peço ajuda ao resto da alcateia, e vamos seguir o rasto do Jacob.Sugeriu Sam

    - Gosto da ideia.

Pensei, que era mais fácil planear, e Alice ver, do que ir a casa e voltar. Vou a casa, pedir à Alice, Jasper, Rosalie e Emmet, que venham ajudar-nos. E dizer à Esme que fique a cuidar da Bella.

- Já está.

Edward, tens a certeza que a Alice viu? - questionou, Seth.

    - Sim não te preocupes. Eu tenho plena confiança no dom da minha irmã.

Enquanto esperávamos. Eu encostei-me a uma grande sequóia, e pus-me a pensar, no que iríamos, fazer. E se a Renesmme se perdeu? Não há qualquer problema, acho eu.

Demorou cerca de meia hora, a ouvir a mente da minha família.

Edward o que se passa? -perguntava Emmet.

Emmet, o Edward, precisa de nós, para encontrar a Nessie. E claro que vamos ajudar. Não é assim?

Ouvi Alice, a explicar ao Emmet. Era uma grande ajuda, te-la como irmã.

Claro que sim. Edward podes contar connosco. Pensou o Jasper.

Sim Edward, falta pouco para chegarmos. Daqui a quinze minutos estamos aí. - referiu Alice.

A resposta de Alice, respondeu à minha questão.

Os lobos, já estavam todos. Questionavam-se, porque é que eu estava ali.Sam ainda não tinha explicado nada, simplesmente, disse para eles irem ter ao local onde nos situamos.

O dia já ia a meio. O céu começou, a escurecer. E um relâmpago, rasgou- o a meio. Parecia duas folhas de papel a rasgarem-se. Aquele clima era normal, na pequena cidade de Forks. Mas se começa-se a chover, seria mais complicado encontrar o resto do rasto de Nessie.

 

Bella

    - Bella. - chamou Esme- Edward pediu para ficar contigo, enquanto vão procurar a ...Renesmme.

Não disse absolutamente nada. Sabia que contrariar algum membro desta familia era muito difícil.Nesse aspecto eram todos iguais.

Estavam todos consternados ,com estes acontecimentos. Mas a dor que sinto não se compara à dor que eles sentem. Esta mágoa está equilibrada, com a dor que senti quando Edward me abandonou.

Estava sentada no sofá a olhar para o exterior através das enormes janelas de vidro, que reluziam com o embater do sol. Fiquei assim imóvel durante algum tempo, perdida nos meus pensamentos. Questionava-me o que se estaria a passar. Pensei em ligar a Edward, mas não fiz. Não queria atrapalha-lo como sempre fiz desde o dia em que o conheci.

Passado pouco tempo fui interrompida pelo som do telefone, vertiginosamente peguei nele e atendi.

    - Bella...-disse uma voz meiga mas ao mesmo tempo amarga. - era Edward.

    - Edward. Encontraram-na? Estão todos bem? Os lobos? O Jacob?- perguntei, sem lhe dar tempo para responder.

    - Calma querida... sim está tudo bem. E não, não os encontrámos. Mas estamos a tratar disso, Bella.- disse rapidamente. - resolvi ligar-te, para dizer que está tudo bem para não ficares ainda mais ansiosa. Ligo-te outra vez assim que tiver uma oportunidade.

    - Mas Edward...- tentei dizer.

    - Bella, não te preocupes. Amo-te muito-pronunciou com um tom de voz agressivo.

    - Também te amo... - já era tarde. Tinha desligado a chamada.O que se terá passado, para me desligar assim o telemóvel?

Já passara uma noite desde o desaparecimento de Renesmme. Será que ela está bem? Coitada da minha menina, a passar frio. Agora percebo a dor que algumas mães sentem ao perder os seus filhos.

    - Bella - invocou Esme, ao mesmo tempo que se colocava ao meu lado. Acariciou-me, e deu-me um abraço, cheio de ternura.

    - Esme, obrigado. Vocês são a melhor familia que alguma vez poderia ter. Mas acho que só trago azar atrás de mim.Desde que fiquei com o Edward, não acontece mais nada a não ser desgraças, e isso afecta a familia inteira. Não quero ser a “infeliz”, que só traz azar.

Ela olhou-me estupefacta, e desiludida ao mesmo tempo. Mas porque reagira ela dessa forma, afinal o que eu disse é pura das verdades.

    - Nunca mais digas uma barbaridade dessas Bella,- resmungou Esme- Edward, ama-te,como nunca amou ninguém. Depois de tudo que vocês passaram juntos ainda tens dúvidas?

    - Não é isso... é que...

    - Bella - interrompeu-me - tu deste vida ao Edward, quando apareceste.Foste a melhor coisa que apareceu na vida dele.Adoro-os como se fossem os filhos que perdi. Mas para te ser sincera, Edward estava-se a tornar insuportável,

Ao ouvir o que Esme tinha acabado de dizer sorri.-o que era raro naqueles dias- nunca pensei que Edward fosse tão impertinente, antes de me conhecer.

Ao fim de um pequeno intervalo de silêncio perguntei:

    - Esme, pode contar-me a sua história? Nunca percebi muito bem o que se passou. Edward contou-me. Mas não aprofundou e agora que estamos as duas sozinhas, acho que é um bom momento.Não se importa?

Ela hesitou a responder. Respirou fundo, deu-me a sua mão, branca, o olhou-me.

    - Claro que sim querida. Não me importo. Além de não saber bem o que realmente se passou.Mas acho que esta história te vai ajudar, neste momento.

    - Vai-me ajudar, como assim?- perguntei confusa.

    - Vais perceber, como ter esperança. Vai perceber, que a vida tanto corre bem como corre mal.

Posicionamos- nos no sofá, de maneira a olhar uma para a outra. E ali fiquei, a ouvir a história da minha querida, sogra, Esme.



Esme



    - O que sabes sobre mim?- acabei por perguntar.

    - Não sei muito. Sei que perdeu os seus filhos, e queria morrer por isso. Carlisle encontrou-a às portas da morte, e transformou-a. Não sei mais nada.

Fiquei um pouco lúgrebe, ao lembrar-me do meu passado.Aquelas memórias de uma vida humana cheia de tristeza e infelicidade.

    - Bella, querida. Vou ser muito directa. Pedia que não me interrompesses, não é fácil falar disto.

    - Está bem Esme. Prossiga. - ela estava curiosa, com o meu passado. Mas para quê tanta curiosidade.Uma vida humana, que não desejava ninguém.

    - Aqui vai. - disse, juntamente com um sorriso- Em 1911, parti uma perna, ao cair de uma árvore que tinha trepado. Naquela altura o médico da localidade estava fora. Quem tratou de mim, foi o meu querido Carlisle, naquele tempo o Dr. Cullen . Nunca esqueci aquela cara linda, perfeita e esbelta. - fiz uns momentos de silêncio.Pensei na forma como contaria o resto, sem assustar Bella.

    - Esme está bem?- perguntou. - Está um pouco distante. Se não quiser continuar não me importo.

    - Sim estou bem querida. Isto já passa. Vamos continuar.- Então... Queria ser professora . Pensava em mudar-me para o Oeste. Mas o meu pai achava que uma rapariga não podia viver sozinha .

Entretanto, um rapaz cujo o nome era Charles Evenson. queria casar-se comigo. O meu pai, radiante com a ideia, obrigou-me a aceitar. - deu-me um calafrio, como se isso fosse possível. Bella olhava para mim de forma atenta e interessada. Continuei assim que ela me pôs a sua mão nos meus joelhos. - Eu era muito diferente dele, mas mesmo assim aceitei. Casei-me, tinha eu 22 anos. Rapidamente me arrependi de o ter feito. Foi realmente a pior decisão que eu fiz na minha vida humana.- parei e respirei fundo- … Bella...ele abusava de mim.

    - Coitada, Esme. Era realme...

    - Deixa-me continuar- disse com uma voz doce. - Os meus pais diziam-me para ser uma boa esposa, e não dizer nada a ninguém. Houve uma altura em que ele foi chamado para a guerra. Fiquei muito aliviada, por ele estar distante. Pedia para que Charles morresse e me deixa-se viver a minha vida em paz.

Mas isso não aconteceu. Ele voltou, ainda mais arrogante. Naquela altura, descubri que estava grávida. Essa foi uma desculpa, para eu fugir. Não queria ter o meu filho naquele ambiente de maldade. Fui para a casa de um primo de segundo grau. Essa casa ficava em Milwaukee. Mas não adiantou, os meus pais descobriram onde estava. Tive que desaparecer outra vez, fui viver para uma comunidade perto de Ashland. Comecei a dar aulas.Tudo estava a voltar ao normal. Foi em 1921, que o meu bebé nasceu...- resfoleguei- … mas passado poucos dias morreu. Pelo que o médico disse, foi com uma infecção pulmonar. Senti uma dor que perfurava o meu coração.Andei durante alguns dias, com uma mágoa e um pesar no interior do meu corpo. Não aguentei tanta aflição, e decidi-me atirar de uma penhasco. - Bella estás bem?- perguntei.

    - Estou mais ao menos. A Esme sofreu tanto.

    - Pois sofri... mas ainda não acabou. - Pelo que Carlisle me contou, levaram-me para o hospital de Ashland. Quem estava de serviço era ele, o vampiro mais bonito. Carlisle reconheceu-me, e lembrou-se da menina de dezasseis anos ,sorridente e alegre que lhe passou pelas mãos algum tempo atrás.Sabendo que eu não ia sobreviver, levou-me para sua casa e transformou-me. Quando acordei, vi Carlisle e Edward a ohar para mim, de uma forma tão carinhosa, que me afeiçoei a eles num instante. Depois veio Rosalie, Emmet, Jasper e Alice, e por fim apareces tu para dar vida a esta família. E para acabar bem, ainda nos dás uma neta linda ,linda, linda .

    - Mas essa neta anda a sair da “casca”.Para procurar o seu amor, deixa-me aqui de coração nas mãos.

Dei uma gargalhada. Bella também sorriu.

    - Obrigado Esme, acho quE tinha razão... estava a exagerar em relação ao desaparecimento de Renesmme.Edward vai encontra-la e vai ficar tudo bem.- É assim mesmo, Bella. - sorri-lhe e dei-lhe um beijo na testa. Ela respondeu-me com um abraço, muito meigo e carinhoso.

Ficamos ali à espera que o tempo passa-se e que Edward volta-se com Renesmme e... Jacob.

 

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Fórum Saga Crepúsculo Portugal

Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail: crepusculoforum@sapo.pt
Um blog que vai ao encontro do que as (os) Fãs desejam mais. Aqui é o Espaço Perfeito onde podes saber novidades sobre esta emocionante saga que está a mudar o Mundo, a SAGA CREPUSCULO ... Esperamos por ti AQUI .

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D