Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail: crepusculoforum@sapo.pt
Um blog que vai ao encontro do que as (os) Fãs desejam mais. Aqui é o Espaço Perfeito onde podes saber novidades sobre esta emocionante saga que está a mudar o Mundo, a SAGA CREPUSCULO ... Esperamos por ti AQUI .
.posts recentes

. Dakota Fanning em NYC (HQ...

. Imaegm promocional de Edw...

. Imagens dos efeitos espec...

. Novo poster de "The Host"...

. Nova foto de Nikki e Paul...

. Novo sneak peak de Stephe...

. Nikki ala sobre a reconci...

. Lana Del Rey fala sobre K...

. Data de estreia de "The M...

. Premiere de BD2 em Madrid...

. Novos stills de Robert, K...

. Premiere de BD2 em Madrid...

. Outtakes de Ashley Greene...

. Novo video de Robsten em ...

. Roll exclusivo de Robert ...

. Novas/antigas fotos de Ro...

. BD2 lidera a maior Box Of...

. Premiere de BD2 em Madrid...

. A lista de últimos desejo...

. Nova foto de Judi Shekoni...

. Premiere de BD2 em Madrid...

. Entrevista a Daniel Cudmo...

. Premiere de BD2 em Madrid...

. Kellan Lutz fala sobre a ...

. Screencaps do sextras do ...

.arquivos

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

.tags

. 100 monkeys(91)

. alex meraz(138)

. amanhecer(1283)

. anna kendrick(392)

. artigos(190)

. ashley greene(1080)

. atores(256)

. banda sonora(153)

. bastidores(80)

. bella swan(260)

. billy burke(86)

. boa noite crepusculianos(180)

. boo boo stewart(338)

. brasil(87)

. bryce(161)

. cam gigadent(85)

. charlie bewley(119)

. chaske spencer(100)

. chris weitz(104)

. christian serratos(120)

. comic-con(151)

. crepusculo(122)

. curiosidades(191)

. dakota(347)

. dakota fanning(100)

. david slade(86)

. dvds(85)

. eclipse(1047)

. edward(218)

. elenco(316)

. elizabeth reaser(87)

. entrevistas(1120)

. eventos(381)

. fan made(164)

. fãs(302)

. fas(98)

. festas(101)

. filmes(581)

. fotos(3600)

. galeria(965)

. gifs(148)

. jackson(229)

. jackson rathbone(129)

. jacob(99)

. jamie(142)

. kellan(579)

. kellan lutz(193)

. kristen stewart(3527)

. la(139)

. livros(93)

. lua nova(672)

. merchandising(272)

. michael sheen(113)

. moda(125)

. mtv(130)

. mtv video music awards 2009(85)

. mvma 2009(89)

. new moon(470)

. nikki(342)

. nikki reed(164)

. noticias(157)

. outros(237)

. outtakes(288)

. paris(88)

. parte2(153)

. peter(195)

. peter facinelli(266)

. photoshoot(380)

. portugal(82)

. poster(122)

. premier new moon(154)

. premiere(148)

. programas(170)

. rachelle(124)

. remember me(175)

. revistas(958)

. rob(115)

. robert pattinson(4296)

. robsten(430)

. saga crepusculo portugal(134)

. scan(80)

. scans(342)

. screencaps(170)

. set(157)

. set de eclipse(82)

. stephenie meyer(129)

. stills(343)

. swath(225)

. taylor(1250)

. taylor lautner(274)

. the runaways(121)

. trailer(155)

. twilight(461)

. twitter(634)

. vancouver(117)

. video(746)

. videos(1849)

. volturi(85)

. wallpaper(97)

. xavier samuel(146)

. todas as tags

.Crepusculo Portugal - Chat

Atenção : Este chat EA c -box do lado spoilers BASTANTES Direito Contemplação Sobre o filme ! Quem Quer Ser surpreendido comentarios nao veja OS Neste bate papo , Quem não aguenta OU JA VIU o filme esteja Vontade de ...
Segunda-feira, 25 de Abril de 2011
Fanfic - Capitulo 7 - 1ª Parte - "Nevoeiro"

 

Mudança

 

 

 

Quando chegámos ao jardim da frente da enorme casa, pareceu ouvir-se uma discussão. As vozes que mais inetrvinham eram as de Carlisle, no seu habitual tom autoritário, Nahuel, com um tom de voz quente e persuasor e surpreendentemente Alice, com a sua voz chilreante parecendo deveras zangada. Já imaginava a sua cara. Os lábios comprimidos numa careta, enquanto se enroscava nos joelhos ou no colo de Jasper e punha a língua de fora.

 

Estava distraída, pelo que não ouvi nada do que diziam. Fiquei surpresa quando a cara afável de Edward se converteu num temível ar hosti, com os dentes arreganhados e um rugido bem forte a fomar-se no peito. Coloquei-lhe a mão no local onde seria o coração, recomendando-lhe prudência. Como sempre, recuou e acalmou ao sentir o meu toque. Sorri-lhe, mas nos olhos era notável um laivo de interrogação.

 

- Explica. – ordenei, num ímpeto, comprimindo os lábios.

 

- Já vais compreender. – asseverou, comprimindo ainda mais os seus lábios cheios. Parecia estar a fazer um tremendo esforço para não desatar aos urros e se atirar a o que quer que fosse que o estivesse a incomodar.

 

Esperava que todos nós fôssemos controlados o suficiente para o nível de irritação não rebentar a escala, pelo que fiquei petrificada ao ouvir o som de roupas a rasgarem-se e um uivo estridente que me levaria a tapar os ouvidos se ainda fosse humana. Jacob atirara-se à casa, com toda a força, seguido de perto por Nessie, que lhe puxava a cauda, obrigando-o a retroceder. Edward correu para ele e, no segundo seguinte, já estava à sua frente, empurrando-lhe as espáduas para trás, com uma força de aço. Quando me preparava para chamar Emmett para nos ajudar, Esme abriu a porta com um sorriso amoroso:

 

- Entrem, vamos lá. Que fazem aí fora? – convidou com uma careta, mas depressa compôs a expressão. Passava-se alguma coisa. E não era nada de bom, disso tinha a certeza.

 

Deslocámo-nos em silêncio para o pórtico, entrando em casa em fila. Todos haviam silenciado, ao ouvir o temeroso uivo de Jacob. Sentei-me num dos grandes sofás da sala de estar, com Renesmee ao colo, enquanto Edward corria para o segundo andar, onde Alice se refugiara com Jasper, fugindo ao problema iminente.

 

- Carlisle. – falei, olhando o médico que parecia mais velho com as rugas de preocupação. – Que se passa?

 

Carlisle acenou com a cabeça, quase imperceptivelmente.

 

 

- Primeiro, gostaria que o Jacob passasse para o estado humano, porque penso que quererá participar nesta conversa de forma activa. – Jacob rugiu. Pelos vistos, já tinha percebido o que se passava. Correu para a cozinha, entrando pela pequena porta que ia dar a uma enorme despensa, com uma máquina de secar, uma máquina de lavar e uma tábua de passar a ferro, onde Esme já depositara um dos conjuntos de Emmett para Jacob vestir. Em cinco segundos, já estava de volta.

 

- Bella, a Alice teve uma visão. – começou Carlisle, prudente. – Uma visão sobre o teu pai...- Paralisei.

 

- Que aconteceu ao meu pai? Que é que ela viu? Alice?! – exclamei, exigindo a presença da minha melhor amiga, mas ouvindo um enorme soluço agudo vindo do andar de cima. Esme correu para lá, pronta a consolar a sua filha.

 

- O teu pai está e estará bem de saúde. – acalmou-me ele, ainda muito cauteloso. – É apenas preocupante a sua reacção a qualquer coisa... Bem, vou explicar-me melhor. A Alice estava a desenhar, aqui na sala, quando de repente teve um “flash”. – explicou, calmamente. – Ela viu o teu pai a ficar vermelhíssimo. De acordo com a descrição de Alice, parecia assustado, espantado e um pouco raivoso. Só não sabemos o que é que o levou a ter tal reacção. Mas pensamos que talvez possa ser... – interrompi-o, pois já sabia a resposta.

 

- ...O crescimento da Renesmee. – terminei, com um suspiro. – E aposto que a vossa discussão se baseava em deixá-la ir ou não a casa do Charlie. – lancei um olhar incriminador a Nahuel, que olhava pela janela, parecendo indiferente. – Já que sou mãe da Ness, acho que também tenho uma palavra a dizer. Edward! – chamei. Agora, sabia que ele viria. Era um pai maravilhoso e bastante aplicado.

 

Em dois segundos, já nos fazia companhia, sentando-se ao meu lado, numa poltrona bege. Estendeu a mão, para que pegasse nela, e depois falou:

 

- Nós somos os pais. Acho que devemos decidir.

 

- Vocês não sabem nada! Vamos expôr a nossa identidade! Será que não vêem o perigo a que nos estão a submeter? – interrompeu Nahuel, subitamente furioso e com as faces muito coradas. Não gostava de dar nas vistas.

 

- Nahuel, acho que tenho a palavra, ainda. – disse Edward, firmemente, apertando-me mais a mão. Nahuel acenou com a cabeça, parecendo resignado.

 

Esforcei-me por retirar o escudo mental da cabeça, levando-o a apreender a minha óbvia opinião. Acenou com a cabeça. Parecia que estávamos de acordo. Sorri.

 

- Eu e a Bella achamos que a Nessie deve ir passar o fim-de-semana com o Charlie, se assim o desejar. – lançou um sorriso de esguelha a Renesmee, prevendo a sua resposta mesmo antes de ela a pensar. – Que achas, minha Nessie?

 

- Papá, gostava muito de dormir em casa do avô... – pediu – mas sei que nenhum de vós concordará. – lamentou-se, fazendo beicinho para o mais relutante de todos nós, Nahuel.

 

- Então, levar-te-ei a casa de Cahrlie ainda hoje, com a Bella, é claro. – afirmou ele, com uma voz cavalheiresca de outro século, que fez Emmett soltar uma das suas gargalhadas troantes, vindas do jardim das traseiras.

 

Até Carlisle apoiava a decisão de Edward. Eu estava abismada com a reacção do amazona.

 

Nessie sorriu, e em seguida atirou-se para o peito do seu pai, às gargalhadas e puxando-me também para o monte, com uma força nova e inacreditável, que me fez saltar. Envolveu-nos aos dois com os seus bracinhos, muito feliz, ainda soltando gargalhadas agudas e maravilhadas, que ressoavam por toda a casa, talvez para alertar Alice, Jasper e Esme que o pior da discussão passara, ou apenas para demonstrar a sua imensa felicidade. Fui surpreendida por um beijo apaixonado de Edward, que também se ria, espalhando o seu hálito refrescante por toda a minha boca e fazendo-me vacilar por instantes. Mas logo correspondi ao beijo, quase num acto inconsciente, também com uma enorme força.

 

Por esta hora, já toda a família e visitas se encontrava na sala, observando a nossa manifestação de puro e amor e contendo gargalhadas. Apenas Emmett e Rosalie não se contiam, não se esforçando minimamente.

 

Finalmente, Nessie saltou do colo de Edward para os braços de Jacob, beijando-o nas duas bochechas, sorridente. Pousou a mão nos lábios de Jake, tansmitindo-lhe provavelmente a imagem de querer cumprimentar toda a família e amigos ali presentes. Jacob transportou-a, passando primeiro por Carlisle e Esme, que Nessie afagou no cabelo e no pescoço, depois por Emmett, Nahuel e Jasper, batendo no peito de cada um dos tios e lançando um olhar de desagrado ao amazona, fazendo-lhe uma careta. Seguidamente, passou por Alice, que a abraçou, compondo-lhe os caracóis que brilhavam à ténue luz do sol que incidia no meio da divisão. A minha filha beijou-a em cada uma das pontiagudas mechas de cabelo preto da pequena tia. Por fim, chegou a vez de Rose, que chegara há cerca de uma hora, com Emmett. Edward ficou subitamente tenso, por baixo de mim. Nessie aproximou-se, envolvendo-lhe a nuca com a mão, cuidadosamente, e passando o braço pelas costas de Jake. Depois, num ápice, juntou-os, fazendo com que os três se abraçassem. Ouviu-se um rugido a formar-se nas entranhas de Rose e um uivo a sair por entre os dentes de Jacob.

 

- Oh, por favor, não é assim tão mau. – declarou Nessie, franzindo a testa, concentrada.

 

Depois, todos rebentámos em gargalhadas, juntando-nos ao abraço familiar.

 

Como é óbvio, não aguentámos mais. O cheiro a cão começava a impregnar-se nas nossas roupas e no ar à nossa volta e, instintivamente, todos franzimos os narizes. Apenas Nessie permaneceu agarrada a Jake, totalmente feliz.

 

Rosalie deu rapidamente um passo atrás, aturdida e cansada devido ao esforço que fizera contra a sua natureza, que lhe dizia para despedaçar o lobisomem à sua frente. Todos nos rimos da sua expressão zangada, hilariante, e Emmett aproximou-se e beijou-a na bochecha, agarrando-a pela cintura.

 

- Tens razão, minha Ness, não é assim tão mau estar em família. – concordou Carlisle, sorridente, dando um murro no ombro de Jacob, em tom de brincadeira.

 

- Bem, e agora que todos estamos felizes, acho que a Renesmee quer ir para casa do avô, certo filha? – perguntou Edward, provocador.

 

- Sim! – guinchou ela, saltando dos braços do meu melhor amigo, para se encaixar perfeitamente entre os meus braços. Depois, virou Edward ao contrário, de costas para nós, e começou a empurrá-lo em direcção à porta.

 

- Vemo-nos mais tarde. – acenei à minha família, que observava a cena com expressões divertidas. Peguei na chave do Volvo, que se encontrava no hall de entrada e saí.

 

Um ar gélido percorreu-me o corpo, provocando-me um arrepio. As Primaveras de Forks nunca tinham sido muito quentes, mas aquela em particular estava a ser deveras fria, com temperaturas negativas e difíceis de alcançar num país que se dizia ser ameno.

 

Edward estendeu a mão, pedindo a chave, e eu atirei-lha. Entrei rapidamente no lado do pendura, depois de ter depositado Nessie no banco de trás e de a ter observado a colocar o cinto de segurança. Dei a mão a Edward, como sempre fazia, e partimos a grande velocidade em direcção à minha antiga casa.

 

Em poucos minutos, Edward já estacionara o carro ao lado do de Charlie. As luzes do alpendre já estavam acesas, parecendo um pouco fantasmagóricas à claridade cerrada da manhã. O meu pai chegara a casa e observava agora Sue a fazer o almoço. Pareceu-me que era uma tortilla espanhola, um dos seus pratos preferidos. Bati à porta, segurando a minha filha pela mão, enquanto o meu marido retirava a sua mala do carro. Não dissera nada a Charlie sobre esta ideia, pareceu-me que uma surpresa seria algo melhor. E tinha a certeza que cancelaria de imediato todos os compromissos só para estar com a adorada neta.

 

Ouvimos uns passos pesados a virem na nossa direcção, e depois o meu pai apareceu à porta, desconfiado. Assim que nos viu, esboçou um dos seus sorrisos de olhos enrugados que o faziam parecer dez anos mais novo.

 

- Entrem. – convidou, puxando Renesmee para um abraço apertado e beijando-me nas faces. – Edward.

 

Acenou com a cabeça e estendeu a mão, para que Edward lha apertasse. Ultimamente, Charlie nunca se sobressaltava nem com a pele demasiado quente da neta, nem com a pele demasiado fria do resto dos Cullen. Permaneceu impassível, mas denotei-lhe um laivo de resignação no olhar. Reprimi um rugido. O meu pai nunca conseguiria aceitar Edward como sendo da mesma família.

 

Entrámos, cumprimentando Sue, e sentámo-nos no velho sofá da sala de estar, enquanto Nessie abraçava a quase-mulher do meu pai. A minha filha sempre se sentira fascinada com aquela anciã de olhos sábios e cansados, que lhe relatava todas as lendas conhecidas sobre os Quileute.

 

- Fazem-nos companhia ao almoço? – ofereceu Charlie, engolindo em seco. O à vontade que tinha comigo desaparecera já há algum tempo, depois da separação, fazendo-o sentir-se constrangido com a nossa presença. Lembrei-me do meu primeiro dia em Forks e soltei uma gargalhada suave.

 

- A Nessie pode jantar aqui, mas nós estamos com pressa. – retorquiu Edward, com um sorriso misterioso. Era o meu momento.

 

- Hum, Charlie? – principiei, cautelosa.

 

- Sim?

 

- Bem, nós pensámos que vocês talvez gostassem que a Renesmee passasse este fim-de-semana convosco. Hum, que vos parece? – engoli com dificuldade. Charlie e Sue fitavam-se, a tentar deliberar o nosso pedido. O meu pai falou finalmente.

 

- Mas é claro. Adoraríamos! – exclamou. – E a minha pequenina, o que acha?

 

- Eu também quero, avô! – saltou para os seus braços abertos, um convite irresistível.

 

- Tomarei bem conta dela, Bella. – assegurou ele, novamente com um olhar grave. – Estará em segurança.

 

Assenti. Confiava cegamente no meu pai.

 

Deixámo-nos ficar um pouco em silêncio, até que Sue perguntou:

 

- Têm a certeza que não querem comer?

 

Lançou-nos um olhar algo presunçoso, mas também amável. Preocupava-se imenso em manter aquela fachada perfeita, sem máculas.

 

- Sim, Sue. A Esme está à nossa espera para jantar. – disse, retribuindo-lhe o olhar profundo.

 

- Não queremos fazê-la esperar. – terminou Edward, apertando a minha cintura.

 

Assentiram os dois com a cabeça, Edward entregou a mala cor-de-rosa a Charlie, pegou-me na mão e dirigimo-nos em silêncio até à porta.

 

- Até amanhã, filha. – dissemos, em coro.

 

- Sim, até amanhã. – Nessie correu para nos dar um beijo na testa, abraçou-nos e voltou para a sala, começando a conversar com o avô.

 

Fechámos a porta da casa, que rangia, e dirigimo-nos ao carro.

 

- Nem correu assim tão mal. – comentou Edward, enquanto fechava a minha porta e se dirigia ao lado do condutor.

 

- Tens razão... – acabei por afirmar.

 

A viagem decorreu rápida e silenciosa, enquanto Edward me acariciava as mãos e o cabelo com os lábios e com os dedos finos. Quando chegámos, o meu marido conduziu o Volvo até à garagem, estancionando-o alinhado entre o seu Vanquish e o Mercedes de Carlisle. A casa encontrava-se silenciosa. Quase diria que alguém estaria a caçar. Faltava o som de algumas respirações da minha família. Talvez Alice e Jasper tivessem ido à caça. Alice já não ia há algum tempo, e talvez Jasper a tivesse acompanhado.

 

Edward pegou-me na mão e conduziu-me ao pórtico, abrindo a porta com suavidade.

 

- Bem-vinda a casa. – referiu, com um sorriso, como se não se encontrasse mais ninguém na sala, apesar de quatro vampiros se ocuparem dos seus afazeres naquela divisão. No entanto, ignoraram-nos. Apenas Esme nos chamou para o sofá onde se recostara a ver televisão.

 

- Soa bem. Há muito tempo que não ouvia isso. – recordei, com o mesmo sorriso dançante nos lábios carnudos. Passei-lhe a mão pelo rosto, contornando-lhe as olheiras que se tornavam cada vez mais profundas com o passar do tempo sem caçar. Por fim, agarrei-lhe nas duas mãos e puxei-o para uma poltrona, sentando-me ao seu colo.

 

- Bella. Edward – cumprimentou Rose, sem tirar os olhos do rosto de Emmett, que a acariciava incessantemente.

 

- Rosalie. – disse Edward. Eu limitei-me a acenar com a cabeça.

 

- Qual foi a reacção de Charlie à vossa proposta? – perguntou Esme, depois de uns minutos de silêncio e quando a corrente eléctrica se fazia sentir de novo.

 

- Penso que reagiu muito bem. De qualquer maneira, ele adora a Renesmee. Iria aceitar, mesmo que tivesse de desmarcar uma concessão sobre técnicas inovadoras de pesca costeira. – reflecti rapidamente, passando os meus pensamentos para palavras.

 

- Quando a vi há pouco, parecia que a Ness tinha crescido cerca de dois centímetros e as suas feições tinham mudado ligeiramente. – disse Esme. Decidi ignorar aquela afirmção, para meu próprio bem. Não queria preocupar-me e preocupar também Edward e os outros. Parecia que o meu marido era da mesma opinião que eu.

 

- O clima entre Sue e Charlie está cada vez melhor. Reparei nisso. Amam-se muito, desde há muito tempo. – comentou Edward. – Com o Harry Clearwater vivo, era um amor impossível, mas este amor ainda não tinha criado raízes suficientes. O teu pai e a Sue não se viam muitas vezes. Mas quando começaram a conviver... – continuava a reflectir, mas eu deixara de lhe prestar atenção.

 

Alguém tocava piano. Uma melodia lindíssima.

 

Carlisle.

 

- Carlisle? – chamei, emocionada.

 

- Sim, Bella?

 

- Essa melodia... Foi o Carlisle que a compôs? – perguntei.

 

- Não, minha querida. Esta melodia é da tua filha. Foi ela que a escreveu.

 

Um baque surdo atingiu-me os ouvidos sensíveis. A minha filha...

 

- Oh! – exclamei, não conseguindo conter aquela exclamação, completamente desprovida do contexto. Naquela altura, já Edward nos arrastara pesadamente até ao piano branco, sentando-me ao lado de Carlisle e relaxando os meus ombros.

 

A minha filha.

 

Aquela música tinha uma letra. Li-a rapidamente. Tal como a melodia, também a letra da música era magnífica.

 

A letra falava de uma rapariga, que em apenas um dia se modificara. Ficara irreconhecível e todos os seus amigos e família a haviam esquecido, ficando esta ao abandono.

 

A Princesa de Alabastro”, era o nome da composição. Carlisle acabava agora de a tocar, terminando com um triste dó grave, prolongado com o pedal do piano.

 

Um soluço escapou-me por entre os lábios. Sem contar com a minha canção de embalar, aquela tinha sido a melodia mais bonita e triste que já ouvira em toda a minha existência. Agora percebia-o.

 

Renesmee estava preocupada. Todos os gritos histéricos, a felicidade inesperada por simples cenas do dia-a-dia e até o pesadelo, a minha filha andava deprimida, e eu sempre o soubera, mas não o quisera admitir para ninguém.

 

Aquela canção que escrevera era sobre si, e sobre o seu despropositado medo de nunca mais ser reconhecida pela família e amigos, as coisas que mais amava no mundo. Outro soluço irrompeu do meu peito dilacerado com a dor da preocupação. Sempre vira a minha filha como algo que irradiava calor, alegria e amor para tudo e todos. Imaginar Nessie triste, só e sombria causava-me arrepios, porque sabia que a sua tristeza e a tristeza dos outros era algo que a destruía no interior, que a rompia por dentro, deixando-a em farrapos.



publicado por Joana às 00:36
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

.Saga Crepúsculo Portugal
Todos os direitos reservados á Saga Crepusculo Portugal e ao seus autores , textos devidamente creditados excepto . Quem copiar sem citar o autor do post , infringe em termos de direitos autorais .



.Trailers Amanhecer - Parte 2
.Contadores

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

.Fan Fic

Nevoeiro - Capitulo 1I

Nevoeiro - Capitulo 1II

Nevoeiro - Capitulo 2I

Nevoeiro - Capitulo 2II

Nevoeiro - Capitulo 3I

Nevoeiro - Capitulo 3II

Nevoeiro - Capitulo 4I

Nevoeiro - Capitulo 4II

Nevoeiro - Capitulo 5I

Nevoeiro - Capitulo 5II

Nevoeiro - Capitulo 6I

Nevoeiro - Capitulo 6II

Nevoeiro - Capitulo 7I

Nevoeiro - Capitulo 7II

Nevoeiro - Capitulo 8I

Nevoeiro - Capitulo 8II

Nevoeiro - Capitulo 9I

Nevoeiro - Capitulo 9II

Nevoeiro - Capitulo 10I

Nevoeiro - Capitulo 10II

Nevoeiro - Capitulo 11I

Nevoeiro - Capitulo 11II

Nevoeiro - Capitulo 12I

Nevoeiro - Capitulo 12II

Nevoeiro - Capitulo 13I

Nevoeiro - Capitulo 13II

Nevoeiro - Capitulo 14I

Nevoeiro - Capitulo 14II

Nevoeiro - Capitulo 15I

Nevoeiro - Capitulo 15II

Nevoeiro - Capitulo 16I

Nevoeiro - Capitulo 16II

Nevoeiro - Capitulo 16III

Nevoeiro - Capitulo 17I

Nevoeiro - Capitulo 17II

Nevoeiro - Capitulo 17III

Nevoeiro - Capitulo 18I

Nevoeiro - Capitulo 18II

Nevoeiro - Capitulo 18III

Nevoeiro - Capitulo 19I

Nevoeiro - Capitulo 19II

Nevoeiro - Capitulo 19III

Nevoeiro - Capitulo 20I

Nevoeiro - Capitulo 20II

Nevoeiro - Capitulo 20III

Nevoeiro - Capitulo 21I

Nevoeiro - Capitulo 21II

Nevoeiro - Capitulo 21III

Nevoeiro - Capitulo 22I

Nevoeiro - Capitulo 22II

Nevoeiro - Capitulo 22III

Nevoeiro - Capitulo 23I

Nevoeiro - Capitulo 23II

Nevoeiro - Capitulo 23III

Renesmee Cullen - Capitulo 1

Renesmee Cullen - Capitulo 2

Renesmee Cullen - Capitulo 3

Renesmee Cullen - Capitulo 4

Renesmee Cullen - Capitulo 5

Renesmee Cullen - Capitulo 6

Renesmee Cullen - Capitulo 7

Renesmee Cullen - Capitulo 8

Renesmee Cullen - Capitulo 9

Renesmee Cullen - Capitulo 10

Renesmee Cullen - Capitulo 11

Renesmee Cullen - Capitulo 12

Renesmee Cullen - Capitulo 13

Renesmee Cullen - Capitulo 14

Renesmee Cullen - Capitulo 15

Renesmee Cullen - Capitulo 16

Renesmee Cullen - Capitulo 17

Renesmee Cullen - Capitulo 18

Renesmee Cullen - Capitulo 19

Renesmee Cullen - Capitulo 20

Renesmee Cullen - Capitulo 21

Renesmee Cullen - Capitulo 22

Renesmee Cullen - Capitulo 23

Renesmee Cullen - Capitulo 24

Renesmee Cullen - Capitulo 25

Renesmee Cullen - Capitulo 26

Renesmee Cullen - Capitulo 27

Renesmee Cullen - Capitulo 28

Renesmee Cullen - Capitulo 29

Renesmee Cullen - Capitulo 30

Renesmee Cullen - Capitulo 31

Renesmee Cullen - Capitulo 32

Renesmee Cullen - Capitulo 33

Renesmee Cullen - Capitulo 34

Renesmee Cullen - Capitulo 35

Renesmee Cullen - Capitulo 36

Renesmee Cullen - Capitulo 37

Renesmee Cullen - Capitulo 38

Renesmee Cullen - Capitulo 39

Noite de Luar - Capitulo 1

Noite de Luar - Capitulo 2

Noite de Luar - Capitulo 3

Noite de Luar - Capitulo 4

Noite de Luar - Capitulo 5

Noite de Luar - Capitulo 6

Noite de Luar - Capitulo 7

Noite de Luar - Capitulo 8

Noite de Luar - Capitulo 9

Noite de Luar - Capitulo 10

Noite de Luar - Capitulo 11

Noite de Luar - Capitulo 12

Noite de Luar - Capitulo 13

Noite de Luar - Capitulo 14

Noite de Luar - Capitulo 15

Noite de Luar - Capitulo 16

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Afiliados

Lua Nova Twilight/Notícias Fotos e Tudo Sobre o Mundo de
Crepúsculo

Image and video hosting by TinyPic

Rádio do Planeta - A solidariedade toca aqui!

Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic Create your own banner at mybannermaker.com!