Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Saga Crepusculo Portugal

Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail:crepusculoforum@sapo.pt Um blog que vai ao encontro de que as(os) fãs mais desejam. Aqui é o espaço perfeito onde podes saber as novidades sobre toda a emocionante saga CREPÚSCULO... Esperamos por TI AQUI.

Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail:crepusculoforum@sapo.pt Um blog que vai ao encontro de que as(os) fãs mais desejam. Aqui é o espaço perfeito onde podes saber as novidades sobre toda a emocionante saga CREPÚSCULO... Esperamos por TI AQUI.

Saga Crepusculo Portugal

25
Jun11

Fanfic - Capitulo 28 2ªParte - "Renesmee Cullen"

Joana
28º Capítulo
 

Nessie vais fazer oito anos, ou melhor, dezoito , é normal que te deixei de tratar assim.” Aquele pensamento entristeceu-me. Eu adorava ser mimada e ter todo o carinho que era reservado para mim, mas isso mudou.Reparei nisso á muito tempo e hoje apenas tive as certezas.

            -Renesmee Cullen, vou ser obrigada a ir aí? - gritou a minha tia do outro lado da porta.

            -Não tia, já vou sair , desculpa. - sussurrei. Quando se trata destas coisas de moda Alice vira o seu lado de fadinha para bruxinha.

            Abri a porta ,envolvida pela camada de cetim que era o meu robe e visionei uma Alice impaciente ,sentada na ponta da minha cama a bater o seu pequeno pé contra a carpete preta.

            -Finalmente! - disse Alice, dando-me a mão que me guiou para junto de uma cadeira própria de cabeleireiros.

            -Desculpa. Estava a pensar, e nem dei pelo tempo passar. – desculpei-me. - Tia por acaso não sabes qual é a surpresa do Jake?

          

  -E porque haveria eu de saber? - disse tentando desconversar.

            -Talvez porque sabes a maneira como me devo vestir – sussurrei – e porque talvez ele te pede sempre ajuda.

            Alice apenas gargalhou com os argumentos que utilizei.Iria responder àquela gargalhada, mas não valeria de nada. Deixei-me apenas levar pela coreografia utilizada por ela, para me arranjar. As suas mãos maneavam os meus cabelos com uma habilidade espantosa.Os olhos dela nem chegavam a pestanejar como era de costume, meramente se fixavam em mim.De repente vi-me a rodopiar e logo senti algo frio sobre a minha face. Seguiria-se agora a preparação para a maquilhagem.Alice colocava cremes e mais cremes, para realçar o meu tom de pele. Lápis preto, para contrastar com o branco que ela utilizou como sombra. Nas maçãs do meu rosto, foi pousando um pó de cor avermelhada para me deixar corada -como Jake gostava.Quando esta acabou, puxou-me de uma forma calma, para junto de um vestido azul, cujo o tecido era algo parecido com a seda.Na parte de cima era lisa, lugar onde continha uns pequenos enfeites, que deixavam cair duas tiras de tecido, que prendia no pescoço.Na parte da cintura ele soltava-se em leves folhos todos descoordenados, pelo meio da coxa.

            -Alice este vestido... - gaguejei.

            -É para levares. - completou sorridente -É lindo não é?

            -Nem tenho qualquer palavra, para tal pergunta – disse enquanto encarava Alice, que estava radiante.

            -Estás à espera do que ,para o vestires? - perguntou com o vestido na mão.

            Rapidamente coloquei o vestido, que deslizou sobre o meu corpo lentamente. Enquanto Alice o apertava na parte de trás, eu reparava na beleza natural que aquele vestido demonstrava. Sorri enquanto Alice me fazia rodopiar sobre mim própria, fazendo o vestido levantar um pouco, como uma verdadeira bailarina.Estava radiante com aquilo tudo.

            -Ainda falta uma coisa – pronunciou Alice, enquanto olhava directamente para os meus pés descalços.

            Ia dizer que não sabia o que calçar, mas fiquei em silêncio quando Alice apareceu com uma caixa prateada nas mãos.Abri-a e lá dentro tinha umas sandálias pretas de salto alto simples, mas que combinavam de maneira perfeita com o vestido. Sorri e beijei ao de leve o rosto da minha tia.

            -Nessie...- disse Alice- Muitos parabéns.

            -Já estava a pensar que te tinhas esquecido – pronunciei com um biquinho a formar-se nos lábios.

            -Achas que me esqueceria de ti, princesa. - disse enquanto nos abraçávamos.

            Já completamente pronta e a cinco minutos da chegada do Jake, as minhas mãos tremiam, as pernas não se aguentavam em pé e o coração poderia sair do meu corpo à velocidade que batia.E para piorar a situação, a minha família ainda não se encontrava em casa.Será que aconteceu alguma coisa?

            Este pensamento logo desapareceu, quando as minhas narinas sentiram o odor maravilhoso dele.Vi-o relutante ao abrir a porta.Sem mais demoras, corri para junto dele, dando-lhe um beijo de ficar sem fôlego.

            -Tenho que ficar longe de ti, mais vezes. - sussurrou Jake.

            -Nem te atrevas. - resmunguei, fazendo-o rir.

            -Vamos... - pediu.

            -Claro. Alice nós já vamos- gritei. Sei que não era preciso, mas é força do hábito.

            Já a caminho de algum sítio, dentro do carro que o meu pai emprestou – o que é estranho – Jake falava como tinha sido o seu dia e eu apenas assentia e comentava algumas das vezes.

            -Chegámos. - pronunciou de forma segura.

            Olhei pelos vidros do carro e deparei-me com uma espécie de cabana com cortinas brancas a esvoaçar à leve passagem do vento. A cabana era pequena, e não tinha portas nem sequer janelas de vidro. No centro havia uma mesa redonda, com uma decoração romântica- certamente feita pela minha avó.

            Não sabia o que fazer ou o que dizer. Apenas sabia que estava perante a surpresa mais bonita que Jake me fez.

            Um jantar romântico, na praia de La Push

            Debaixo do céu escuro daquela noite, admirava a surpresa feita pelo Jake.O meu corpo ainda tremia com a incerteza de que era realidade, ou mais um maravilhoso sonho que tinha com ele.

            Avancei devagar para o primeiro degrau da “casinha”, ele cavalheiro que é ajudou-me colocando a sua mão em volta da minha cintura.Debaixo daquele tecto haviam luzes que iluminavam aquele espaço deixando-o de certa forma, romântico. As velas sobre a mesa, indicavam o amor que nutríamos um pelo outro. As rosas vermelhas, demonstravam o desejo e sensualidade que ambos deixávamos fluir dos nossos corpos.

Pensamentos que invadiam o meu inocente cérebro e que logo voaram como uma pena ao sabor do vento, quando senti os lábios quentes de Jake na minha clavicula.Suspirei com satisfação.

            -Estás muito linda...- disse-me depositando outro beijo no vale do meu pescoço.

            -Obrigada. Mas isso não tem valor nenhum quando estou ao teu lado – respondi virando-me nos seus braços.

            -Não sejas exagerada – gargalhou.

            Estiquei-me só um pouco para que pudesse sentir os seus lábios nos meus.Uma chama subiu pelo meu corpo, quando aqueles lábios quentes pousaram sobre os meus.Eles moldavam-se perfeitamente, como se tivessem sido feitos ao pormenor. As suas mãos percorriam ao de leve o perímetro do meu corpo, enquanto eu puxava o seu cabelo para o encostar mais a mim- como se fosse possível.Ao fim de algum tempo, para minha insatisfação Jake separou-se de mim, colocando apenas uma das suas mãos na minha cintura.

            -Tem calma, ainda temos um jantar e … - disse parando, como se escondesse alguma coisa.

            -E? - questionei.

            -Nada esquece. - bufei. Odeio quando me fazem isto.

            -Vamos jantar – disse-me segurando a ponta da minha mão, levando-me para junto da pequena mesa.

            Quando me ia a sentar, Jake impediu-me. Agilmente puxou a cadeira para trás e ajudou-me a sentar. Parecia que estava num filme do século XIX.

            -Muito cavalheiro que o menino está. - ironizei.

            -Tens o que mereces. - respondeu rapidamente.

            -E é só isto que mereço?- falei aparentando estar indignada.

            -Pensando bem... - sussurrou – Acho que mereces mais alguma coisa. Mas não agora...

            Suspirei pesadamente enquanto Jake gargalhava da minha cara. “Como se eu fosse a palhaça do circo”.

            O resto do jantar foi passado entre carícias e juras de amor. Falámos de tudo o que nos rodeava e não só. Dialogamos de forma passageira sobre um casamento e filhos do futuro.

            No final, Jake levantou-me e dirigiu-me para uma espécie de pista de dança.Fitava-o de cima a baixo enquanto ele colocava a musica que iríamos dançar.Logo o som saiu das colunas deixando-se levar pela leve brisa que passava. Olhei-o e aproximei-me dele, juntando os nossos corpos.

            Os passos de dança que dávamos era feitos com leveza e suavidade. Jake fazia-me rodopiar como uma bailarina, puxando-me de novo para junto do seu corpo.Entre provocações vindas dos dois lados, existia espaço para as carícias e leves beijos que dávamos.Tudo estava perfeito.Tudo fazia sentido para mim naquele momento.

            -Jake! - chamei, olhando-o nos olhos.

            -Diz, princesa.

            -Não sabes se a minha família anda a esconder alguma coisa. - falei- Eles andam estranhos, nunca estão em casa...

            -Não sei de nada. - disse nervoso – Mas vamos esquecer isso.

            Assenti e voltei a pousar a minha cabeça no peito dele, enquanto dançávamos juntos ao som da nossa música.

***

 

            Algum tempo depois, de termos saído de La Push havíamos seguido para a casa do meu avô. Questionei-me sobre isso. Pois eu pensava que Jake nos levaria para um hotel ou algo do género.

            -Bem...chegámos – avisou.

            -Jake não está ninguém em casa. - disse admirada.

            A grande casa transparecia calma por entre as sua enormes janelas. As luzes estavam todas apagadas. O silêncio pairava naquele lugar, que deveria estar com música num volume elevado,em que as luzes de discoteca deveriam estar a brilhar e onde gente saia e entrava alegremente.Uma lágrima percorreu o canto do meu olho.Jake juntou-se a mim, e transportou-me para a frente da porta de entrada.

            -Jake eles esqueceram-se de mim – sussurrei, tentando não transparecer a tristeza que havia no meu interior.

            -Nessie – disse ,levantando o meu queixo anteriormente baixado – A tua família nunca se esqueceria de ti, porque eles... - disse enquanto abria a porta – Amam-te.

            Quando Jake abriu a porta um feixe de luz caiu sobre mim. Várias pessoas saiam de todos os lugares, enquanto me cantavam os parabéns. Fiquei estática na entrada da porta, um sorriso enorme brotou por entre os meus lábios. As lágrimas de tristeza anteriormente derramadas, eram agora lágrimas repletas de alegria e emoção.Jake sorria e dava-me leves beijos nas maçãs do rosto, desejando-me parabéns vezes sem conta.Voltei a ter reacção, ao sentir um abraço frio e ternurento, vindo da minha mãe.Os braços dela envolveram-me completamente, e ali sentia-me bem, segura e protegida.Logo de seguida, toda a família veio cumprimentar-me, entre beijos e abraços e algumas piadas- maior partes delas vindas do Paul e Emmett. O último a cumprimentar-me, foi o meu pai, que me deu um enorme abraço e um beijo estalado nas maças do rosto.

            -Nessie nunca duvides, que eu e a tua família de amamos, entendeste?- alertou o meu pai.

            -Sim pai, desculpa. - disse dando-lhe um beijo na testa.

            -Agora vai aproveitar, porque afinal a festa é tua.

            Durante a festa dancei com muitos rapazes, fazendo Jake dar aqueles olhares que assusta até a morte.Muitas das vezes era chamada, para cumprimentar as pessoas pela décima vez.Estavam ali todas as pessoas que davam sentido á minha vida.Tudo estava a correr maravilhosamente bem.

            Quando os convidados começaram a ir-se embora, senti alguém puxar-me para a cozinha da casa.

            -Jake o que estás a fazer?- questionei.

            -Vou-te...dar agora o meu presente final.

            -O que é?

            -Anda comigo que saberás.- disse, segurando-me pela cintura.

            Os nossos lábios mais uma vez, voltaram-se a encontrar.Eles moviam-se ao mesmo tempo que as nossas mãos, que tocavam levemente o corpo de cada um.Senti Jake a elevar-me e a sentar-me na ilha da cozinha.Estávamos a ficar ofegantes, mas mesmo assim não nos largávamos.

            As pontas dos seus dedos percorriam os traços das minhas pernas, fazendo-me arrepiar.As minhas mãos exploravam os cabelos de Jake, puxando-os de vez em quando.

            -Nessie, vamos com calma. - disse.

            -Mas … - sussurrei.

            -Se me seguires terás o que queres...- disse-me com malícia nas palavras.

            Sorri e mais nada disse. Apenas corri para a sala, deixando a minha família sem entender nada ,quando puxei Jake para fora da porta. Ele segurou a minha mão e começou a correr ao meu lado , por entre as árvores que pertenciam ao mundo da floresta. Agora quem corria á minha frente era Jake, eu apenas seguia-o. Conhecia aquele caminho.Sorri ao tentar descobrir o que ele havia preparado para este momento.

            Quando lá cheguei os meus olhos reluziram com o que viram.Junto à nossa árvore havia uma espécie de colcha, envolvida em lençóis vermelhos. À sua volta reluziam ,à luz da lua, as pétalas de rosa branca , que por lá estavam estendidas.

            -Gostas-te? - perguntou.

            -Se gostei? - questionei – Jake, não me poderias dar presente melhor que uma noite repleta de amor.

            Ele não disse nada. Apenas se aproximou de mim, e envolveu-me num dos nossos beijos.Os nossos lábios dançavam, numa coreografia inventada no momento. Senti as suas mãos a deslizarem nas minhas costas, deixando-me completamente arrepiada.A sua camisa, era agora desabotoada com alguma pressa pelos meus desajeitados dedos. Os beijos deles, espalhavam-se pelo todo perímetro do corpo, enquanto tentava desamarrar o meu vestido, que logo caiu sobre o chão.

            Algum tempo depois, os nossos corpos moviam-se numa dança de amor. Jake sussurrava palavras amorosas no meu ouvido, enquanto pequenos gemidos eram largados pela minha garganta.Eu amarrava os seus cabelos, puxando-o para mais um beijo.As gotas de suor que o nosso corpo emanava juntava-se formando apenas uma gota.

            O nosso amor estava ali demonstrado, na forma como sentimos as carícias, os sussurros, os beijos. Ambos gemíamos, em consequência ao prazer que acabáramos de atingir.

            Pouco tempo depois, Jake desconectou-se de mim, caindo sobre a colcha.Levantei-me e encostei a minha cabeça no seu peito.

            -Foi a melhor noite da minha vida.- disse.

            -Nem duvides disso. - disse Jake cansado.

            -Jake – chamei- Nunca te esqueças que te amo.

            -Eu também Nessie. Amo-te como nunca amei ninguém. - beijou-me. - Agora dorme.

            Após ele ter dito isto, os meus olhos fecharam-se levando-me para o meu mundo de fantasia.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Fórum Saga Crepúsculo Portugal

Blog Saga Crepúsculo Portugal Mail: crepusculoforum@sapo.pt
Um blog que vai ao encontro do que as (os) Fãs desejam mais. Aqui é o Espaço Perfeito onde podes saber novidades sobre esta emocionante saga que está a mudar o Mundo, a SAGA CREPUSCULO ... Esperamos por ti AQUI .

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D